Postagem em destaque

Melhor Idade?

Ninguém disse ao meu coração Que o tempo passa, rasga e desgasta Que tem uma idade E outra idade E uma terceira idade Que chega sorrat...

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Despedida - Ung

Há exatamente uma semana fui desligada da Instituição onde trabalhei por exatos 29 anos e meio o que me deixou: Triste, Feliz e Agradecida, ao mesmo tempo. Escrevi, então, o texto que segue, publicado, inicialmente, no Facebook. 
  
***

Sinto-me Triste, Feliz e Agradecida, ao mesmo tempo. Eu explico:
Hoje é dia de agradecer o sol lindo que brilha lá fora, nesta manhã quente de inverno, depois da fria notícia de ontem. Fui desligada, melhor dizendo, despedida da Universidade Guarulhos, onde trabalhei durante 29 anos e meio.
Quero agradecer à UnG, Universidade Guarulhos​, tudo o que dela recebi nos últimos 29 anos e meio.
Nunca poderei esquecer o dia, do final do mês de dezembro de 1985, terminando o curso de Complementação Pedagógica, em que, gestante do último mês de gravidez, fui convidada para fazer parte da Instituição e levada pelas mãos amigas da professora Maria Teresa Gomes Pereira​, à diretoria do Centro de Letras e Artes, para futura contratação.
Meu filho, hoje com 29 anos e meio,  nasceu no dia 15 de janeiro de 1986 e, na primeira semana de fevereiro desse mesmo ano, com um bebê de 15 dias, lá estava eu, firme e forte (talvez não tão firme, nem tão forte), pronta para encarar a minha primeira turma de ensino superior, depois de alguns anos e continentes, de ensino fundamental e médio, como se diz hoje.
Era uma tarde de um sábado quente de fevereiro, como costumam ser as tardes desse mês, em que, perplexa e assustada, encarei o desafio de lecionar Didática, numa turma, do Curso de Psicologia, com 140 alunos (uma multidão)! Terminada a aula, corri para casa para amamentar meu bebê, que me recebeu tranquilo e sorridente, e assim os dias foram passando, se transformando em meses, depois em anos (não mais amamentando, claro, mas continuando a repartir meu tempo entre a tarefa de ser mãe, dona de casa e professora, como tantas outras mulheres).
Fiquem tranquilos que não farei aqui o relato completo dessas aventuras e desventuras ocorridas em 29 anos e meio.
Ontem fui chamada, com urgência, para assinar uns papéis. Neles constava a notícia de que a Universidade Guarulhos, não necessitando mais dos meus serviços, me dispensava. Era, exatamente, assim, que estava escrito naquela folha branca de papel (nunca entendi por que diziam que receber carta de demissão era receber o "bilhete azul").
Alguns devem perguntar-se por que motivo eu viria a público agradecer. Vejamos:
Eu agradeço à UnG, Universidade Guarulhos, a oportunidade que me proporcionou de lecionar no ensino superior, de ter formado meus filhos, de me permitir ampliar meus conhecimentos profissionais e pessoais.
Formada em Filologia Românica (Letras) pela Universidade de Lisboa​, conclui na UnG o Curso de Administração Escolar, Supervisão de Ensino e Orientação Educacional, graças ao qual me tornei professora da casa.
Tempos depois, ali mesmo, na UnG, fiz um mestrado em Linguística Letras e Artes e, decorridos alguns anos mais, me formei em Psicologia. Agradeço, portanto, a ampliação do meu patrimônio cultural.
Agradeço a oportunidade de ter sido Coordenadora do Curso de Letras que contava, à época, com cerca de três mil alunos e 56 professores. Se não pude fazer pelo curso tudo o que idealizei, ou tudo o que esperavam de mim, fiz o melhor possível, com as condições que me foram proporcionadas. Agradeço pela experiência que não serviu apenas para ampliar meu currículo, mas serviu pelo aprendizado de humildade, de que exercer um cargo é estar ao serviço de uma situação passageira...
Agradeço a oportunidade de coordenar alguns eventos, como semanas culturais, que deixaram, em quem delas participou, marcas felizes e inesquecíveis, mesmo em meio a alguns inevitáveis contratempos.
Agradeço a oportunidade de organizar e avaliar, durante muitos anos, o Concurso de Poesia, aberto à comunidade acadêmica.
Agradeço a oportunidade de poder exercer a prática generosa e voluntária de Cursos de Inserção Acadêmica, oferecidos gratuitamente aos alunos, como forma de melhorar seu desempenho, lançando sementes de conhecimento que, espero e acredito, devem estar florescendo e frutificando por aí.
Agradeço a experiência quase enlouquecedora de montar um curso básico de português, a distância, e de ter tido a chance de saber que estava dando resultados positivos.
Agradeço a possibilidade de ter transitado por muitos cursos e áreas de conhecimento, o que muito ampliou a minha percepção das diferentes formas de aprender e de ensinar.
Agradeço à Universidade Guarulhos, o ter-me permitido exercer com liberdade a minha profissão de ensinante-aprendiz, acreditando no meu potencial e respeitando as minhas idiossincrasias, sabendo que meu trabalho sempre foi pautado pelo respeito ao aluno, à instituição e à fé, de que ensinar é uma troca constante de experiências, o que me permitiu praticar a máxima de Guimarães Rosa que diz que "professor não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende".
Agradeço a possibilidade que tive de expressar pensamentos e sentimentos, nas diversas palestras proferidas e nos artigos publicados nas revistas (de papel e eletrônicas) da Instituição.
Agradeço a oportunidade de ter lançado o meu livro de poesia "Chuva Quente" e do lançamento ter sido prestigiado pelas Autoridades da UnG, incluindo seu Chanceler.
Agradeço as oportunidades que tive de atuar como tradutor-intérprete nas visitas de franceses à Instituição.
Agradeço a oportunidade de ter intermediado e conseguido, para a Biblioteca da UnG, uma coleção de livros oferecidos pela Fundação Calouste Gulbenkian, de Lisboa.
Agradeço a oportunidade de ter podido apresentar aos alunos de Letras a escritora portuguesa Filomena Cabral, o escritor da Távola Redonda, Marcos Leal, o Professor Doutor de História da Universidade de Lisboa, João Medina, para falar sobre Eça de Queirós e, ainda, de apresentar exposições cedidas pelo Instituto Camões.
 Agradeço as lindas e calorosas homenagens que recebi de diversas turmas, em suas festas de formatura, ou fora delas.
Agradeço a todos os funcionários da UnG, de todos os departamentos, que sempre me trataram com correção, respeito e carinho, me atendendo prontamente sempre que necessário.
Agradeço aos professores, colegas e amigos, com quem tive o privilégio de convier e que partilharam comigo suas vidas, durante esses 29 anos e meio, em que às vezes passava mais horas na Instituição do que em minha casa, pelo companheirismo, respeito e afeto e, que me perdoem aqueles, a quem possa ter magoado, sem ter percebido, e sem qualquer intensão malévola.
Aos Queridos alunos que cruzaram o meu caminho, eu agradeço o muito que me ensinaram, e espero que tenham compreendido que as "broncas" estavam a serviço de um bem maior: o conhecimento.
Foram tantos os ganhos que não posso deixar de agradecer! Se no calor da emoção, deixei de agradecer a alguém, me perdoe.
Portanto, no momento em que os meus serviços, não interessam mais à Instituição, saio dela com a tristeza inerente ao fim de um ciclo que se extinguiu, mas alegre e feliz, por ter cumprido o meu dever com dignidade e respeito.
Espero saber receber de braços bem abertos as novas oportunidades que a vida me proporcionar daqui em diante.
Meus novos projetos incluem a possibilidade de palestras, grupos de estudos de Literatura, Psicologia, Educação. Tenho uma sala na R. Soldado José de Andrade, 559, Guarulhos, onde espero receber clientes para atendimento terapêutico. Alunos para troca de saberes. Atualmente compartilho nela meus conhecimentos de francês.
Obrigada, Amigos, pela atenção dedicada a este momento aqui compartilhado e perdoem a extensão do discurso.