Postagem em destaque

Velejando a Vida

               É difícil, ao velejador, recolher as velas em meio à tempestade, mas é fundamental que o faça. Sem a calma e o esforço nec...

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Sensações



Não sei teu nome
Nem de que estrela escorregaste.

Sinto no ar o aroma
De tuas carícias,
O fogo dos teus olhos,
O veludo de teus beijos,
A música de tuas mãos
Deslizando no meu corpo nu.

Embriagados, meus sentidos,
Sonham com teu regresso!


           ****

Vejo-te chegar
Coberto de ouro e de luz.
Abres os braços
E me aninho no teu peito.
Assim unidos,
Nossos corpos fremem
E os desejos cumprem-se
Sob as estrelas cadentes.

               Guarulhos, 23/02/2015